31 de Maio.

A gente vem e vai… faz um gracejo. Ela vê e responde. Nem sabe, será que sabe? Será que lembra? Nem sei. Será que sei? Sei não, tô só fingindo que sei, que posso ser, no íntimo do meu coração que se diverte com isso. Ele já tem esse métier. Eu já não me preocupo muito. Nem posso nem devo.

A vida cobra os anos. Mas as lembranças são tão suaves. Permito-me apaixonar alguns míseros segundos. O mais puro dos desejos cintila nos meus olhos fitando a pequena tela. Flashes aleatórios da minha infância passam diante dos meus olhos… “Namorei um garotinho do Colégio Militar, mas o danado do garoto só queria me beijar… na… bo… ca…”

Eu sorrio e dou scroll. Que vida é essa, minha gente.

Deixe uma resposta